Angústia

Não é possível descrever a angustia, Do querer e não poder ter. A dor do rasgar da Alma porque, Ao fincar o pé não me deixo arrastar. A consciência é o flagelo que Deus nos deixou, O coração, o instrumento enganador que bate quando não deve. E a Alma… A Alma sofre com a antítese constante dos dois. Mas não é por isso que tudo passa. Não é pela consciência nos flagelar, Que o coração deixa de se partir E a nossa mente voa perdida. Também eu vagueio pelas recordações, Suspirando à mais pequena memória tua. Sinto o coração saltar, De cada vez que o telemóvel dá mensagem. A minha respiração sustém-se, Cada vez que te vejo ou ouço. As musicas doem ao ouvir porque, Cada lamento é de uma alma gémea

Publicações recentes
Busca por etiquetas
Segue-me nas redes
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square
Consultar arquivo
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now